Imunidade à mudança

Nos últimos anos, temos recebido muitas solicitações de desenvolvimento voltadas para a área de gestão da mudança. Grande parte dos nossos clientes estão sentindo na pele as dificuldades de lidar com o processo de mudança, seja estrutural ou comportamental.

Mas, qual a razão de nos deparamos com a necessidade de mudar e encontrarmos tanta dificuldade? Por que a mudança é tão difícil, mesmo quando tudo parece alinhado e previamente estudado?

A razão é que grande parte de nós criou, ao longo do tempo, um sistema complexo e muito eficaz de imunidade à mudança. Ao passo que este sistema nos protege dos perigos que nos cercam, este mesmo mecanismo, pode nos impedir de ir além e experimentar novas possibilidades.

Sabemos que a maioria das ferramentas de Gestão da Mudança não focam com qualidade e profundidade os aspectos individuais e internos (Mindset) da mudança, mas buscam direcionar seus esforços em ferramentas voltadas ao que se vê.

Entendemos, contudo, que o comportamento expresso não é causa, mas consequência de uma série de eventos externos que foram “digeridos e organizados” no mundo interno. Assim, lidar com mudança, pressupõe olhar para dentro.

imunidade mudança-01

Baseado nos estudos de Robert Kegan e Lisa Lahey – Centro de Educação de Harvard, adaptamos um mapa de imunidade, o qual utilizamos em muitos de nossos trabalhos para “destravar a mudança”. Neste mapa, são exploradas as principais crenças que impendem a mudança acontecer e definidos planos de ação cuidadosamente pensados para o alcance das metas.

O objetivo do trabalho com a imunidade à mudança é potencializar o processo de melhoria e desenvolvimento de cada participante e/ou grupo, por meio de uma estrutura poderosa e eficaz, tomando consciência das principais crenças que limitam o alcance dos resultados e desenvolvendo um plano efetivo para a mudança de atitude.

imunidade mudança_Artboard 2

 

Renato Navas é Psícologo, Especialista em Dinâmicas de Grupos, Coaching, Mentoring e Análise Transacional.