Análise Transacional: autoconhecimento que gera autonomia

A Análise Transacional é uma teoria psicológica que se propõe a estudar o comportamento humano, compreendendo a personalidade enquanto um sistema biopsicossocial aberto e dinâmico, que considerada os aspectos individuais, interpessoais e grupais como parte essencial deste sistema. Baseia-se, também, na importância e impacto do respeito por si e pelos outros, na busca constante pelo crescimento, desenvolvimento, empoderamento e autenticidade das pessoas por meio da maximização do uso de suas potencialidades.

Propicia uma compreensão dos processos que intervêm nos relacionamentos humanos, na dinâmica grupal, no desencadeamento dos conflitos, tanto intra e interpessoais, quanto intra e intergrupais. Na prática, ela atua como um modelo verificável que descreve como funciona a personalidade a partir de condutas observáveis.

A teoria descreve um sistema complexo, porém utilizando uma linguagem simples, de fácil entendimento. Seus pressupostos estão baseados no Contrato Mútuo de mudança, visto que as pessoas são capazes de decidir o que desejam para suas vidas e produzir as mudanças necessárias. Estuda profundamente:

  • como as relações acontecem no aqui e agora buscando a eficácia na comunicação;
  • analisa os comportamentos funcionais e disfuncionais das relações e suas consequências, e o que isso revela das decisões de vida do indivíduo;
  • e como este se posiciona frente ao outro e ao mundo que o cerca.

Essa teoria foi criada por um psiquiatra canadense chamado Eric Berne que nasceu em 1910, em Montreal, e morreu em 1970 na Califórnia, EUA. Berne era judeu, filho de um médico e uma escritora. Formou-se em medicina e mudou-se para os EUA, lá fazendo residência em Psiquiatria. Iniciou uma formação em psicanálise em 1941. Em 1943, durante a 2ª Guerra Mundial, ingressou no exército como Psiquiatra, praticando psicoterapia de grupo e também selecionando recrutas. A partir de seus breves atendimentos para seleção, iniciou seus estudos e registros sobre a intuição.

Berne discordava da lentidão do processo terapêutico psicanalítico, principalmente para o seu contexto pós-guerra. Consequentemente, sua teoria demonstrou uma aplicação mais prática e breve naquele contexto. Escreveu várias publicações em revistas, jornais e  livros, sendo que um deles se tornou um Best Seller: “Os Jogos da Vida”. Em 1970, ano de sua morte, ele publicava dois livros simultâneos, sendo o “O que dizemos depois de dizer Olá” o mais importante, por resumir sua obra, mas que acabou por deixar questionamentos importantes discutidos até a atualidade.

imagem-certa-01-768x444
Atualmente a Análise Transacional marca uma presença mundial, tomando força como uma teoria que se atualiza sem perder sua essência, e que busca de forma clara e objetiva a autonomia do indivíduo, estimulando a autoconsciência, a espontaneidade e a intimidade nas relações.

Com aplicação na área clínica, organizacional e educacional, utiliza conceitos como: Transações, Estados de Ego, Jogos Psicológicos, Script, Compulsores, Injunções, Posição Existencial, Fomes Psicológicas entre outros, que proporciona de forma eficiente e prática o autoconhecimento e potencializa o aprimoramento das relações interpessoais.


Renata Alves Gava é psicóloga, consultora Ágora Entertraining, analista transacional (AT202) pela UNAT-Brasil, com formação em Dinâmica dos Grupos pela SBDG/RS e Gestão de Pessoas pela Universidade Tuiuti do Paraná. Professora de Graduação e Pós-graduação nas disciplinas de Gestão de Pessoas. Atua na área de Consultoria Organizacional desde 2005. Experiência como gerente de empresa por 5 anos. Experiência nos subssistemas de RH em empresas de variados portes e segmentos, em programas de treinamento e desenvolvimento nas áreas comportamental.